Notícias

18 de Outubro, 2018

Por que sua empresa deve adotar as Compras Sustentáveis?

Os processos dentro das empresas estão passando por grandes transformações e o olhar que as organizações dedicam, hoje, à sua cadeia produtiva e relação com fornecedores também está mudando.

Compras sustentáveis consistem naquelas em que se tomam atitudes para que o uso dos recursos materiais seja o mais eficiente possível. Isso envolve integrar os aspectos ambientais em todos os estágios do processo de compra e evitar compras desnecessárias identificando produtos mais sustentáveis que cumpram as especificações de uso requeridas. Logo, não se trata de priorizar produtos apenas devido a seu aspecto ambiental, mas sim considerar seriamente tal aspecto juntamente com os tradicionais critérios de especificações técnicas e preço.

A compra sustentável pode melhorar as relações com os fornecedores e seus negócios. Desempenha um papel importante em qualquer organização, grande ou pequena. Assegurar que os fornecedores tenham práticas sólidas e éticas - em tudo, desde as condições de trabalho e gestão de riscos até o seu impacto ambiental, tem o potencial não só de fazer as empresas funcionarem melhor. Envolve a tomada de decisões de compra que atendam às necessidades de uma organização de forma a beneficiar a sociedade e o meio ambiente. Trata-se de garantir que os fornecedores de uma empresa são aqueles que trabalham de forma ética, que os produtos e serviços adquiridos são sustentáveis ​​e que tais decisões de compra ajudam a abordar questões sociais, econômicas e ambientais.

Os produtos sustentáveis são feitos ou funcionam de forma a:

  • usar menos recursos naturais;
  • conter menos materiais perigosos ou tóxicos;
  • ter maior vida útil;
  • consumir menos água ou energia em sua produção ou uso;
  • poder ser reutilizado ou reciclado;
  • gerar menos resíduos (ex: ser feito de material reciclado, usar menos material na embalagem ou ser reciclado pelo fornecedor).

É importante também que a maior parte dos processos se tornem sustentáveis e não tão somente a compra. Por isso, o engajamento de fornecedores se torna um ganho a mais no caso desses aderirem às iniciativas e práticas sustentáveis. A boa notícia é que há cada vez mais fornecedores que atendem a esses requisitos porque a demanda também está maior.

A norma ISO 20400 -Sustainable Procurement - para compras sustentáveis ​​foi  publicada em 2017 para ajudar as organizações a desenvolver e implementar práticas e políticas de compras sustentáveis. Fornece ainda diretrizes para integrar a sustentabilidade na estratégia e processo de uma política de compras da organização, definindo princípios como responsabilidade, transparência, respeito pelos direitos humanos e comportamento ético.

 

E quais são os benefícios?

As compras sustentáveis beneficiam o comprador, o mercado e a comunidade em que sua empresa está inserida.

No primeiro caso, as vantagens são:

  • melhor custo-benefício e maior eficiência no uso dos recursos;
  • maior geração de economia devido à eficiência energética, diminuição do uso de água, eliminação de resíduos e reuso de produtos e materiais. Isso diminui o custo da mercadoria durante todo seu ciclo de vida;
  • maior publicidade positiva relativa à compra e utilização de serviços, produtos e fornecedores que tem boa reputação social e ambiental;
  • mais liderança na comunidade pela adoção dessa atitude;
  • maior capacidade de elaborar práticas socialmente conscientes e inovadoras.

Para o mercado, os benefícios que podem ser conquistados são:

  • mais disponibilidade de serviços e produtos sustentáveis por preços mais rentáveis;
  • possibilidade de ampliação do mercado para serviços e produtos sustentáveis, podendo beneficiar empresas locais;
  • ampliação das oportunidades de mercado pela diferenciação de produtos e serviços;
  • diminuição dos custos com transporte, por exemplo: combustível, congestionamentos rodoviários e manutenção de veículos;
  • mais apoio e incentivo à inovação, porque os produtos preferidos são aqueles mais sustentáveis;

Já para a comunidade, as vantagens que podem ser destacadas são:

  • diminuição dos impactos ao meio ambiente e sociais devido às opções de compra;
  • diminuição da quantidade de resíduos para os aterros, além da economia de água e menor emissão de gases de efeito estufa;
  • redução da poluição da água e do ar;
  • redução do consumo de recursos processados e naturais;
  • promoção da segurança, saúde e igualdade;
  • promoção do desenvolvimento de comunidades locais;

 

Como iniciar a comunicação com fornecedores

Para iniciar uma boa relação com os fornecedores e de forma transparente, é essencial a elaboração de um plano de comunicação a fim de informá-los os critérios de avaliação aos quais serão submetidos.

Isso garante uma relação saudável entre as partes e também fomenta a proatividade daqueles que ainda não se inserem nos padrões exigidos pelas organizações.

Para ampliar os canais de comunicação com os fornecedores, é interessante adotar:

  • portais de fornecedores;
  • workshops;
  • reuniões individuais.

Também é comum que as empresas se questionem a respeito da veracidade de informações passadas pelos seus parceiros e fornecedores. É possível reduzir o risco do uso de informações que não correspondam à realidade através de:

  • solicitação de evidências documentais como certificados;
  • visitas às plantas de fornecedores;
  • pesquisas de internet;
  • declarações voluntárias.

Um dos principais objetivos é tornar a maior parte dos processos sustentáveis e não tão somente a compra. Por isso, o engajamento de fornecedores se torna um ganho a mais no caso desses aderirem às iniciativas e práticas sustentáveis, conferindo melhorias de redução de impacto tanto social quanto ambiental.

Incluir compras sustentáveis em uma organização implica em mudanças consideráveis na forma como a gestão de compras e de contratos são tratadas. Nesse cenário, as escolhas de compras mudariam do “menor preço” para o “melhor preço”. Assim, o mercado de produtos e serviços que se diferenciam por serem mais sustentáveis e são mais valorizados que a concorrência.

 


 

 

 

Notícias anteriores

Nova resolução no Rio Grande do Sul incentiva o plantio de...

Determinada pelo CONSEMA, a Resolução 383/2018 incentiva o plantio de florestas nativas. Ainda garante ao produtor rural que as árvores nativas plantadas...

20 de Novembro, 2018 leia mais

Fepam cria critérios para geração de energia elétrica por...

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) criou procedimentos para o licenciamento ambiental de empreendimentos de geração de energia elétrica...

14 de Novembro, 2018 leia mais

Nova portaria da FEPAM sobre o MTR ON LINE ...

A Portaria FEPAM Nº 33/2018 foi revogada pela nova Portaria FEPAM Nº 87/2018, que está em vigor desde 30/10/2018. Salienta a obrigatoriedade da utilização...

13 de Novembro, 2018 leia mais

Por que sua empresa deve adotar as Compras Sustentáveis?

Os processos dentro das empresas estão passando por grandes transformações e o olhar que as organizações dedicam, hoje, à sua cadeia produtiva e...

18 de Outubro, 2018 leia mais

Reunida na FIERGS com empresários, Secretária do Ambiente Ana...

Na quarta-feira, dia 10, ocorreu reunião conjunta dos Conselhos de Meio Ambiente (Codema) e de Infraestrutura (Coinfra) da Federação das Indústrias do Rio...

17 de Outubro, 2018 leia mais

Ibama abre banco de dados do Sistema DOF para acesso público

O Ibama abriu na última sexta-feira (14/09) para acesso público o banco de dados do Sistema DOF (Documento de Origem Florestal), que controla o transporte e...

26 de Setembro, 2018 leia mais
  • Página 1 de 24
  • >