Notícias

05 de Março, 2018

Consema aprova atualização da resolução 288

Está publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 2, uma nova resolução com todas as atividades que precisam de licenciamento ambiental para serem realizadas no Estado do Rio Grande do Sul. A Resolução 372/2018 atualiza e substitui a Resolução 288/2014, estabelecendo critérios para a gestão compartilhada entre Estado e municípios no licenciamento ambiental. A Resolução também aponta algumas atividades em que não há a incidência de licenciamento ambiental, por entender que já há outras autorizações e licenças suficientes para aquela natureza de atividade, como o licenciamento urbanístico, a outorga de água e o Cadastro Ambiental Rural.

A atualização do regramento, aprovado pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), dá mais clareza à lista de atividades licenciáveis, além de definir as que são de impacto local cuja competência para licenciar é dos municípios. Ou seja, ao contrário da edição anterior, que tratava somente das atividades de impacto local, a nova resolução regra todas as atividades passíveis de licenciamento ambiental no Estado, fazendo com que a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), também siga regramento do Consema. A partir da publicação da nova resolução, o Conselho de Administração da Fepam não poderá mais criar, alterar ou extinguir atividades passíveis de licenciamento.

A nova Resolução segue a diretriz da Lei Complementar 140/2011 que determina que o licenciamento do empreendimento seja analisado por um único órgão licenciador, mesmo que contemple mais de uma atividade. O órgão competente será aquele responsável pela atividade principal. 

Para permitir uma atualização constante da norma, a nova resolução criou um sistema mais ágil de tramitação no Consema, permitindo que as propostas de alteração, criação ou extinção de atividades, bem como do porte ou potencial poluidor sejam remetidas diretamente à Câmara Técnica de Gestão Compartilhada Estado/Municípios do Consema. 

A secretária adjunta da Sema e presidente do Conselho Maria Patrícia Möllmann explica que a revisão do texto da resolução iniciou em 2015, quando foi aberto prazo para apresentação de propostas, tendo sido realizadas mais de 30 reuniões de Câmaras Técnicas para debater cada uma das atividades. 

“Após ampla análise pelas câmaras técnicas de Gestão Compartilhada Estado/Municípios e de Assuntos Jurídicos, o trabalho foi concluído em dezembro de 2017 e submetido à apreciação dos conselheiros que aprovaram o texto e seus anexos em reunião plenária”, referiu Maria Patrícia.
FONTE: SEMA-RS
 

Notícias anteriores

Descarte incorreto de lixo pode causar problemas na rede de...

Lenços umedecidos, embalagens de salgadinho, biscoitos e garrafa pet são os principais vilões.

19 de Setembro, 2018 leia mais

Fepam isenta geração de energia elétrica a partir de fonte...

Medida serve para desburocratizar a geração distribuída de energia e promover seu desenvolvimento .

14 de Setembro, 2018 leia mais

Compliance e Integridade para um Brasil melhor

São muitos os desafios vividos por profissionais e empresas em relação às questões de ética, corrupção e conformidade. Estamos realmente passando por...

22 de Agosto, 2018 leia mais

Critérios de sustentabilidade da ONU Meio Ambiente orientam...

A Advocacia-Geral da União (AGU) do Rio Grande do Sul realizou sua primeira aquisição de papel utilizando os critérios de sustentabilidade do projeto...

16 de Agosto, 2018 leia mais

Sustentabilidade Ambiental e a Alta Administração

Muito se fala de que sustentabilidade ambiental e negócios empresariais caminham em lados opostos. Adicionalmente, argumenta-se que se a organização investe...

31 de Julho, 2018 leia mais

A ECONOMIA QUE VEM DO SOL

Atualmente a situação econômica em nosso país tem impacto direto nas indústrias brasileiras. A busca por estratégias que minimizem os custos nos...

19 de Julho, 2018 leia mais
  • Página 1 de 23
  • >