Notícias

29 de Novembro, 2017

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA PODE SER RENTÁVEL PARA O SEU NEGÓCIO

De acordo com a ANEEL (2008) a energia solar que chega à Terra é térmica e luminosa e a irradiação por ano na superfície terrestre é suficiente para abastecer milhares de vezes o consumo anual mundial de energia. A energia é captada e transformada em energia térmica ou elétrica. Quando a captação se dá por painéis fotovoltaicos o resultado é a energia elétrica.

No final da década de 1990 a conexão de sistemas fotovoltaicos à rede começou a ocupar um lugar significativo entre os usos da tecnologia fotovoltaica. Quando um sistema fotovoltaico passa a ser conectado à rede elétrica, ele dispensa o uso dos armazenadores de energia, já que a rede passa a ser um acumulador infinito de energia, tendo esse sistema um desempenho muito alto, além de apresentar economia com o uso de acumuladores, diminui também o custo da energia gerada, sendo esta inteiramente aproveitada de alguma forma. Os fluxos de energia gerada nas edificações são medidos por contadores de kWh, que contabiliza a energia comprada da rede, a vertida à rede e a gerada pelo Sistema Fotovoltaico Conectado à Rede - SFCR.
A energia gerada por um SFCR é injetada e distribuída na rede elétrica interna do estabelecimento. A eletricidade obtida pela geração fotovoltaica é consumida no próprio local e se houver excedente de produção, o mesmo é exportado para a distribuidora local, gerando créditos que podem ser descontados da conta de energia elétrica. Os SFCR podem ser conectados a rede monofásica ou trifásica, desde que sejam atendidos pela rede pública de distribuição de eletricidade.

Nos primeiros 5 a 8 anos após a instalação de um SFCR, ainda não é proporcionado o retorno financeiro, pois o período corresponde ao tempo proposto para o pagamento do SFCR instalado. Para um estabelecimento que utiliza em média 500 kWh/mês, com um SFCR implantado com potência de 2,4 kW, em 12 anos de uso do sistema proposto, o retorno financeiro gira em torno de R$ 50.000,00. Em 25 anos de vida útil do sistema a economia que pode ser gerada, desde que o consumo se mantenha na faixa estimada de 500 kWh/mês, seria de R$ 448.783,46.

A disseminação dos SFCR em todo o país pode contribuir com a geração de eletricidade em nível nacional, reduzindo as emissões de carbono, bem como outros impactos ambientais gerados pelo uso indiscriminado de combustíveis fósseis e outras fontes de energia tradicionais.

Por: Bárbara Brombatti – Técnica Ambiental da Global engenharia Ambiental Ltda

 

A GLOBAL ENGENHARIA AMBIENTAL pode lhe ajudar a fazer um estudo sobre a viabilidade de um projeto fotovoltaico para seu estabelecimento.

Contate-nos!

 

Notícias anteriores

A ECONOMIA QUE VEM DO SOL

Atualmente a situação econômica em nosso país tem impacto direto nas indústrias brasileiras. A busca por estratégias que minimizem os custos nos...

19 de Julho, 2018 leia mais

Projeto proíbe contrato do governo com causador de dano...

O PLS 312/2018 ainda proíbe a obtenção de subsídios, subvenções ou doações e suspende a obtenção de licença ambiental até o cumprimento da...

18 de Julho, 2018 leia mais

JMalucelli construirá usina de biogás no Rio Grande do Sul

Grupo paranaense investirá R$ 100 milhões no empreendimento

04 de Julho, 2018 leia mais

VALE A PENA SER UMA EMPRESA SUSTENTÁVEL?

Muito se tem falado de sustentabilidade nos últimos anos. Na sua essência, a sustentabilidade significa consumir recursos hoje, de maneira racional, para que...

03 de Julho, 2018 leia mais

A partir de amanhã, o MTR Online passa a vigorar em todo o...

O novo sistema de gerenciamento para o transporte de resíduos passa a vigorar em todo o Rio Grande do Sul a partir de amanhã (dia 30) como único sistema...

29 de Junho, 2018 leia mais

Projeto de lei quer mudar legislação dos agrotóxicos no...

Inca, Fiocruz, Ministério Público Federal (MPF), Ibama, Anvisa, entre outras instituições, publicaram notas públicas contra o projeto de Blairo Maggi.

26 de Junho, 2018 leia mais
  • Página 1 de 23
  • >